NO chorar…

Chorava por tantos motivos sabidos
Que mal sabia o motivo pelo qual chorava
Ouvia entre o som do choro
Uma voz que lhe chamava
“Seu choro, menina, não cobre as estrelas
Seu choro enxarca o mar
Preparando-o para receber,
Assim como tu vais receber,
A bela lua para te iluminar”
E assim sob a luz da lua
Esperou o sol voltar!

Djuliana Themistocles

Anúncios

Tudo que Era…

Esse azedume que invade a alma
Torna uma gota em uma tempestade num copo d’água
Destrói montanhas e pinta o céu de cinza
E enche a vida do que não devia
Mostra-me pedras onde havia um caminho
E traz uma vontade de fugir, sumir, sair sozinho
Pois o que era flor virou espinho.

Djuliana Themistocles

Mareando…

No mar me encontro
Mareio a alma
Lavo o corpo e salgo os males rondavéis
No mar deixo de ser eu
Torno-me um outro ser
Lendário não existo em mim
Faço força que não me cabe
No mar renovo
Removo o que não é meu
Presente que me deu e não recusei
Só e somente só
No mar me encontro plenamente eu

Djuliana Themistocles

A que horas?

“Quando tudo o que parecia ser
Perde o sentido
E o mar se agita nas profundezas
Pode ter certeza
Uma onda gigante destruirá
Para que se possa reconstruir
O que o tempo, impiedoso
Já vem destruindo há tempos.”

Djuliana Themistocles